Controlo

Produtos Tradicionais / DOP / Produtos – DOP
Ameixa d’Elvas – DOP

DENOMINAÇÃO DE ORIGEM PROTEGIDA


           

A Ameixa d’Elvas apresenta-se sob três formas: ameixas frescas, cujo fruto apresenta uma forma arredondada, pouco achatada nos polos, cor verde, podendo apresentar tons amarelados e rosados, completamente revestido de pruína. A polpa é muito suculenta e de aroma intenso característico. O caroço é pequeno destacando-se facilmente da polpa; passas, sendo o fruto desidratado, não apresentando mais de 30% de humidade, cor castanha e escura, com caroço, sem fendas na epiderme, de consistência média e dura, com espessamento da polpa e da pele uniforme, ligeiramente ácido, com pelo menos, 67% de açúcares totais e sem vestígios do pedúnculo; confitadas - fruto inteiro de forma arredondada, obtido pelo processo de confitagem, de cor esverdeada ou branca se coberto de açúcar.

Do ponto de vista histórico, a Ameixa d´Elvas, conhecida na região como abrunho, terá tido origem em França. Inicialmente, era apenas plantada em pequenos quintais de casas de habitação.
A sua expansão e cultura em pomares dá-se no início do séc. XX, já com plantas selecionadas das variedades bem adaptadas, atendendo à reputação atingida, onde é, especialmente, apreciada em Inglaterra. A indústria da ameixa confitada teve o seu início em 1834 com José Guerra, tendo a partir daí recebido inúmeros prémios internacionais e nacionais, cerca de 203.

A Ameixa d´Elvas costuma acompanhar a sericaia, doce típico da região do Alentejo.

As ameixas encontram-se em pequenos pomares de árvores dispersas, de pequenos agricultores, embora a maioria sejam pomares modernos. Esta cultura beneficia das temperaturas muito altas existentes na região, que permite a obtenção de frutos muito ricos em açúcar. As ameixas em passa são obtidas pelo processo de secagem (ao sol ou câmara de secagem) a partir de frutos inteiros, isentas de qualquer tipo de doenças, completamente maduras. As ameixas não embaladas não deverão ultrapassar 23% de humidade e conter, pelo menos, 67% de açúcares totais; depois de embaladas, a humidade não deverá ultrapassar 30%. As ameixas confitadas são obtidas a partir de frutos frescos, a uma temperatura de 70 ºC e mantendo os frutos submersos por um período mínimo de 7 dias. Depois de arrefecidas podem ou não ser cobertas com calda de açúcar. A Ameixa d´ Elvas fresca tem um aroma intenso característico; a Ameixa de Elvas em passa tem um sabor ligeiramente ácido, com pelo menos, 67% de açúcares totais e sem vestígios do pedúnculo; a Ameixa de Elvas confitada é, essencialmente, uma fruta muito doce.

As ameixas são comercializadas em caixas de cartão e madeira redondas e rectangulares. Para as ameixas em calda, usam-se boiões de vidro com tampas cobertas com arrendado de pano, ou, tampas metálicas correntes.

A área geográfica de produção está circunscrita aos concelhos de Borba, Campo Maior e Vila Viçosa e a algumas freguesias dos concelhos de Elvas, Estremoz, Sousel, Monforte e Alandroal.